Jurassic World – Reino Ameaçado Criticas sem spoilers

Featured, Filmes, Lançamento, News

O filme que pegou muita gente de surpresa com a mudança em sua data de estreia chegou às telonas no dia 14, assisti no sábado triste por não ser na estreia, fã incondicional dessa franquia do jeito que sou, mas ainda contente pela antecipação!

Antes de começar a falar sobre o novo filme, acho valido falar um pouco sobre os anteriores, o primeiro Jurassic Park foi uma revolução, um marco nos cinemas. Spielberg revolucionou os efeitos especiais que até mesmo nos dias de hoje são de cair o queixo. O longa-metragem foi uma febre e um sucesso gigante, pois nunca tínhamos visto nada igual. Acho completamente injusto que os fãs até hoje teimam em dizer: Mas que nem o primeiro não tem igual.

Galera, o impacto jamais será o mesmo. Por melhor que seja qualquer sequencia, jamais ira superar aquela inovação, limpem suas mentes desse pensamento antes de ver qualquer outro filme.

Particularmente eu achei o 2 um pouco fraco sim, e o 3 completamente fora do eixo, dinossauros fazendo armadilhas com humanos, sabendo exatamente qual vértebra acertar para deixar ele paralitico, quebrando pescoços, o menino mogli dos dinossauros que sobreviveu tanto tempo sozinho fazendo o que fez…

Quando Jurassic World foi anunciado, apesar de temeroso com mais uma bomba, não pude deixar de me animar, afinal, sou fã da franquia e acabo aturando roteiros ruins e acabava vendo pelos dinos.

E então veio uma grata surpresa, Jurassic World nos trouxe um presente, uma homenagem, mesmo repetindo até que exageradamente MUITAS coisas, achei sensacional! O que ele nos trouxe de novo caiu como uma luva… Protagonistas que acabamos nos apegando muito, e o melhor, um deles é um dinossauro! A Indominus Rex e a historia de hibrido caiu muito bem, uma mistura de ação e aventura, uma luta final de tirar o fôlego, cenas lindas, mesmo trazendo algo que já vimos antes, com mudanças, achei sensacional. E, uma coisa importante, o ponto que queria chegar antes de prosseguir, quando surgiram a historia de dinossauros “domesticados” torci muito o nariz, a ideia soou muito mal! Porém souberam usar essa ideia na medida a ponto de não tornar ela ruim, mas sim bem feita, afinal, quem aqui não adora a Blue e sua relação com o Owen? Algo que podia dar muito errado, souberam fazer dar muito certo. E isso é importante. E isso foi importante para começar a trazer mudanças.

 

Bom, vamos lá.

 

Muito se falava: Po, mas não tem mais o que inventar sempre a mesma historia, por que diabos sempre voltam para essa ilha?

Ai que entra a inovação desse novo filme, gostaria de falar sobre o diretor Juan Antonio Bayona. A mudança de diretor foi um ponto extremamente importante, não que o anterior fez um mal trabalho, mas essa mudança pode prolongar e muito a vida da franquia.

Primeiro, que pela experiência que tem, o diretor resolveu adotar um ar de suspense e terror, diferente do anterior que foi mais ação e aventura. Particularmente eu achei que o diretor fez um trabalho fantástico nesse ponto, o efeito de luz, sombras e flash’s do lado suspense foi sensacional. E não posso deixar de citar a combinação desses efeitos com a nova trilha sonora de Michael Giacchino que se enquadra perfeitamente nesse novo tom do filme.

Os personagens continuam ótimos e ainda melhores, adoro todos eles e a Claire se desenvolveu ainda mais neste, Owen notoriamente mais solto no papel e a Blue sendo ainda mais trabalhada e deixando ainda melhor a relação dela com o Owen. Os dois novos personagens são ótimos, Franklin foi um alivio cômico na medida ideal, não forçou a barra e sumiu conforme o tom do filme foi escurecendo, e reaparecendo na hora certa, Ken Wheatley por sua vez foi um mulherão no estilo Girlpower, independente, forte e muito bem aproveitada dentro de seu papel.

Como sempre temos muitas cenas de referencias aos primeiros, mas não tanto como o anterior. Todo Jurassic Park e World – inclusive esse – tem os seus clichês e roteiros meio óbvios (Todo mundo sabe quando um dinossauro vai fazer sua parte, matar aquele personagem que estamos doidos para ver ser devorado, etc), porem, esse filme praticamente rompeu totalmente com o resto da franquia e veio para mudar ela, justamente para sair desse mais do mesmo de sempre que eu comentei lá em cima. Sem duvidas é o filme que mais se diferenciou de todos.

Falando sobre cenas de referencias, a cena de desfecho da parte que se desenrola na ilha, foi uma obra prima, há uma referencia clara, misturado com um momento tocante, lindo, que levou muitos até mesmo a chorar. Sem duvidas uma das melhores cenas ja feitas em qualquer outro filme da franquia.

Lembram-se quando falei que torci o nariz com os dinossauros “treinados”? Pois bem, a mudança que este trouxe a principio também me preocupou, também me fez torcer o nariz! A principio achei uma jogada muito arriscada, não darei spoilers, mas se souberem utilizar bem será muito boa jogada e com certeza nos garantirá pelo menos mais 2 ou 3 filmes Jurassicos como nunca vimos antes, sem essa baboseira de ir para a ilha, tudo começa lindo maravilhoso como um passeio no parque e vira uma tragédia. Se não souberem aproveitar bem, há uma boa chance de ser tão terrível, quanto poderia (mas não foi) ter sido a historia de dinos militares treinados.

Outra coisa que souberam aproveitar legal, muitas vezes a narrativa muda de foco, de personagem, de diferentes lugares e no final todos se juntaram, ponto positivo pro enredo bem elaborado, mas nada também digno de oscar, mas vale o elogio por não se embolarem.

Claro, nem tudo do filme também é uma maravilha, há um plot twist bem incomum para a franquia que não esperava ver nesse filme, porém quando ele é revelado simplesmente é jogado no ar e logo esquecem dele, não conseguem dar profundidade pro tema, pro plot. Achei ele mal aproveitado, diria até que desnecessário. Acho que foi o único ponto falho, o peso desse plot e da revelação foi zero.

Acredito que com certeza vale a experiência no cinema, em uma tela imax 3d, apesar de não ser fã do 3d, muitas cenas me deram impressão de que seriam ótimas nele. Assistam com a mente aberta, desapeguem do primeiro, curtam o tom mais assustador e sombrio (Mas calma, não estão indo ver um filme cheio de “jumpscare”, gore ou coisas do tipo)!

Caso ainda não tenham visto os trailers, nem vejam, entregaram sim muita coisa do filme!!!

Espero ansiosamente pelo próximo filme, com uma pontinha de temor sim, mas com mais esperança de ver coisas inovadoras e boas! Nota: 8/10.

 

Crítica por  Courel Geek