Assassin's Creed Odyssey

E3 2018: jogamos Assassin’s Creed Odyssey

E3, Jogos

A Ubisoft anunciou recentemente o seu novo jogo da série Assassin’s Creed, o AC Odyssey. Tivemos a oportunidade de jogar a demo aqui na E3 2018.

AC Odyssey se passa historicamente antes de AC Origins porém a parte do jogo que se passa nos dias atuais acontece depois de AC origins, ou pelo menos foi o que um dos produtores do jogo nos disse (eu sei, também fiquei confusa), porém isso não interfere na demo.

Logo no começo você pode escolher o seu protagonista: Alexios ou Kassandra. Apesar de não ser exatamente a primeira vez que é possível jogar com uma personagem mulher (já foi possível fazer isso em certas partes do Syndicate e do Origins), é a primeira vez que poderemos escolher com qual personagem jogar, aparentemente o jogo inteiro.

Escolhido seu personagem, começa o jogo. Na questão de mecânica de jogo, é bem semelhante ao Origins e você também tem uma ave de estimação (chamada Ikaros). Algumas mudanças incluem a presença de uma “barra de adrenalina” que vai enchendo durante a batalha e quando está cheia, você consegue usar alguns golpes especiais, tipo o chute espartano (tradução ao pé da letra, não sei se o nome em português vai ser esse mesmo), um shield-grab onde você pega o escudo do inimigo e o ataca com ele, ou você pode se curar se necessário.

Algo que achei bem interessante e que leva o mundo de Assassin’s Creed um pouco mais perto para os RPGs é que você pode escolher como reagir a determinadas situações. Você pode escolher o caminho da honra, escolher o caminho do dinheiro ou até mesmo do “vamos sair batendo em todo mundo que estiver na nossa frente”. Pelo que deu pra entender, suas escolhas afetam o desenvolvimento da história.

Infelizmente como só pudemos jogar por 1 horinha, não consegui fazer a demo inteira, mas foi uma hora que passou sem nem perceber. O jogo entrete como deve, a Kassandra é foda e se pudesse eu ficava o dia inteiro lá jogando. Assassin’s Creed Odyssey tem lançamento previsto para 05 de outubro e eu mal posso esperar.

Celina Campos

Médica, viciada em livros, filmes, séries, jogos e mangá.