God of War: quando o fim se torna um recomeço

Análise

Essa análise não contém spoilers, porém fará uma viagem não só pelo mundo dos videogames, mas dos filmes, especialmente aqueles que mostram que o fim pode se tornar um recomeço para a série God of War.

Primeiro de tudo, podemos voltar lá em 2013 quando The Last of Us se tornou um sucesso, mesmo mantendo sua estrutura narrativa saturada, a Naughty Dog conseguiu extrair algo que, por mais que no cinema estivesse manjado, não víamos há algum tempo em jogos. Extrair essa essência da história fazia parte do plano desde o início. Segundo entrevistas, vimos que parte do gameplay em God of War também foi poupado para que a história fosse mais coesa.

Analisando Kratos no passado, não podemos fugir muito da figura também famosa, que é o Logan, personagem característico do X-Men, que era conhecido como carrancudo, que cometeu erros, mas decidiu se redimir. Kratos, ao longo de sua jornada descobrindo que era filho de um deus da mitologia grega, conheceu os podres do mundo e cometeu erros os quais se arrepende amargamente. Não muito longe disso, podemos ver que o filme Logan está muito próxima dessa abordagem. Note que não estamos falando de plágio nem nada, mas em como os personagens são muito parecidos em sua essência, apesar de histórias e ações bem diferentes: Kratos matou sua família, o Logan sempre cometeu erros e estava do lado que convinha.

Porém, no filme do Logan, e em filmes como Children of Men e Leon The Professional, são homens que são muito bons no que fazem, mas em seguida são testados por seus incidentes incitantes. Incidente incitante é, em toda forma de narrativa, aquilo que faz com que os protagonistas sigam sua jornada ao longo da trama. Children of Men, temos um político descrente na humanidade, em um mundo onde não se era possível engravidar. No meio disso tudo, há uma fagulha de esperança quando ele encontra uma mãe grávida. Leon, é o melhor de seu meio, porém, ao juntar seu incidente com o de Matilda, que foi perder os pais, passa a trilhar uma jornada que jamais poderia imaginar, e passar a crer mais não só em si, mas no mundo. Logan, crente que o mundo que ele conhece estava diferente, os mutantes vivendo como indigentes, achou que toda a esperança do gene x estava perdida, até uma pequena fagulha de esperança. Com Joel não foi diferente, em TLOU,  perdendo a filha 20 anos antes dos eventos da história, é um homem amargurado com a vida e acha que não tem mais propósito, até ver uma fagulha de esperança.

Por que estou dizendo tudo isso? Kratos, um homem muito bom no que faz, após terminar sua saga no monte Olimpo, tem sua chance de redenção podendo viver uma vida normal. Mas, o que é uma vida normal para os deuses que vivem entre os seres humanos? Destruído, cansado, carregando o peso de sua idade nas costas, Kratos ainda assim encontra forças para continuar sua jornada, por causa de seu filho, Atreus, a fagulha de esperança que há em Kratos.

Mesmo depois da morte de sua esposa, Kratos sabe que Atreus precisa a viver no mundo cheio de criaturas mitológicas que cercam a floresta que vivem. Atreus, apesar de ser a fagulha de esperança que move Kratos, não está pronta para enfrentar o mundo. Assim como em Children of Men, Logan e Leon, as crianças lá não estão preparadas para enfrentar o mundo ainda, apesar de serem a fagulha de esperança.

Após a morte de sua esposa, Kratos leva Atreus para o topo da montanha para despejar suas cinzas lá em cima. Seu último desejo enquanto viva. Porém, como dito antes, a vida de um deus em Midgard, a Terra dos humanos, não é das mais fáceis, era de se esperar que os deuses do panteão Nórdico fossem ficar cientes disso. Porém esse não será o único problema de Kratos. Atreus, como esperança, se torna peça chave entre sua redenção e o mundo novo que vive.

Tomado por fantasmas do passado, Kratos assume sua jornada e sabe que o fim dela será de extrema importância e crescimento para ambos.

De modo geral, pode-se dizer que este jogo não é um jogo da série. Com novas mecânicas e elementos de RPG,  a saga renova-se em história e gameplay. Porém, nada disso fez com que estragasse a sua saga antiga, apenas foi um final que se tornou um recomeço para nosso Kratos.

Porém, não deixe de embarcar você mesmo na jornada com ambos, pois esta análise finda-se por aqui.

Matheus Bigogno

Estudante do curso superior de Jogos Digitais. Começou como estudante de Ciência da Computação, mas sempre soube que sua vida iria envolver jogos de alguma forma. Amante de quadrinhos, principalmente a linha da Vertigo, seriados, e filmes. Ama a cultura pop, nerd, e geek. Fã de um bom Rock Progressivo, ama bandas como Pink Floyd, Genesis, Rush e Jethro Tull. Escreve em blogs desde 2010, sempre gostou do formato e de tudo que envolve essa arte. Gosta de escrever sobre tudo: a vida, o Universo e tudo mais.